27 de jul de 2009

Seminário nacional discute gênero, raça e segurança

Os dados alarmantes de que 33 mil jovens de 12 a 19 anos serão assassinados no País, e em sua maioria negra, revelam a urgência de discutir políticas públicas de segurança. Essa será um dos temas abordados no Seminário Nacional Gênero, Raça e Segurança, que acontece hoje, das 9h às 17h, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco.

O objetivo é promover a articulação dos movimentos negro, de mulheres e LGBT no sentido de uma melhor intervenção na Conferência Nacional de Segurança Pública, uma vez que a Conferência não contempla as dimensões de gênero e raça. O Seminário é promovido pela Articulação Negra de Pernambuco, Ministério da Justiça e da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, em parceria com a Articulação de Mulheres Brasileiras, o Fórum de Mulheres de Pernambuco e organizações não-governamentais.

A população negra ainda permanece marcada por violências, como o racismo, discriminações de gênero, de orientação sexual, de idade ou geração, de classe social, de ter ou não alguma deficiência, entre outras. Em resposta à violência e à invisibilidade, movimentos se organizam em nome das lutas pela transformação social, pelo fim do racismo, do sexismo, da lesbofobia e das diferentes formas de opressão.

Dados - Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), em 2007, foram registrados 371 casos de jovens assassinados, e em 2008 foram 367 ocorrências. Já os dados do Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) revelam que 45% das mortes de adolescentes entre 12 e 18 anos no país, são mais freqüentes entre homens, negros e moradores de periferias urbanas. Os negros têm quase três vezes mais chances de serem assassinados em relação aos brancos.


Serviço - Seminário Nacional Gênero, Raça e Segurança
Data: 27 de julho de 2009
Hora: 9h às 17h
Local: no CFCH, da Universidade Federal de Pernambuco.


Confira a programação:

Manhã:

Mesa de debate - Análise Política do Processo de Conferências de Segurança Pública e os diversos sujeitos: mulheres, negros, jovens.

Convidados(as):
Osmundo Pinho – Prof. da UFRB– Salvador BA
Analba Brazão – Secretaria Executiva AMB/ Coletivo Leila Diniz /RN
Wilma Reis - CEAFRO – Salvador BA

Tarde:

Mesa de debate- Olhar dos movimentos frente às Propostas à Conferencia Nacional de Segurança Pública.

Convidadas:
Ana Paula Maravalho – Observatório Negro de Pernambuco
Rejane Pereira – Fórum de Mulheres de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário