16 de jun de 2009

Recife recebe Seminário Internacional sobre Aids

Especialistas sul-africanos vêm ao Recife para debater formas de enfrentar a doença


Amanhã (17), o Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal de Pernambuco sediará o 'Iº Seminário Internacional Política de Saúde e a epidemia da Aids. Determinantes sociais no Brasil e na África'. Estarão presentes pesquisadores do Brasil e da África do Sul, que irão discutir o papel do Estado e da sociedade civil organizada no enfrentamento à Aids nesses dois países. O evento acontece a partir das 8h30 e é promovido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas e Direitos Sociais da UFPE, em parceria com a Universidade de Cape Town (África do Sul), o Fórum de Mulheres de Pernambuco e outras organizações do movimento feministas.

Durante o seminário, serão abordados, entre outros temas, a epidemia da Aids no Brasil e no mundo e políticas de saúde. ÀS 16h, acontecerá uma mesa sobre “Epidemia da Aids e seus significados para as mulheres”, que terá participação de feministas da Articulação Aids Pernambuco, Rede Feminista de Saúde, GTP+, e será coordenada pelo Grupo Curumim e Fórum de Mulheres de Peranmbuco.

Esse encontro faz parte de um projeto de trabalho desenvolvido no Brasil e na África do Sul, aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). De acordo com a organizadora do evento, Ana Vieira, é importante constituir protocolos de pesquisa nos dois países. "Queremos estabelecer parcerias internacionais para discutir questões sociais relacionadas à Aids", afirma. Para promover o intercâmbio, está prevista a realização de um segundo seminário, no mês de setembro, na África do Sul.

Dados - Segundo dados do Governo Federal, entre 1980 e 2000, a região com maior incidência do vírus HIV é a Sudeste, com 60,4 casos registrados para cada 100 mil habitantes. Já a região Sul concentra 18,9 casos/100 mil habitantes. Em terceiro lugar está a região Nordeste (11,5 casos/100 mil habitantes), seguida pela região Centro-Oeste (5,7 casos/100 mil habitantes) e pela região Norte (3,6 casos/100 mil habitantes).

A feminização da AIDS também é uma outra questão que preocupa os pesquisadores e movimentos sociais. Dados do Ministério da Saúde revelam que 72% das brasileiras com mais de 50 anos não usam camisinha quando têm relações com parceiros casuais. Segundo o último Boletim Epidemiológico do Estado de Pernambuco, de 1983 a 2008, foram notificados 3.963 casos de mulheres portadoras do vírus HIV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário