16 de dez de 2009

Últimas esquetes sobre aquecimento global serão apresentadas no Recife hoje

Hoje (16), à tarde, serão encenadas no Recife as últimas esquetes de rua do Grupo de Teatro Loucas de Pedra Lilás. Desde a semana passada, as artista se dividiram em dois grupos para apresentar esquetes educativas e provocativas no Recife e em Copenhagen, na Dinamarca, sobre os impactos dos programas de desenvolvimento no meio ambiente. A iniciativa surge no bojo da Conferência do Clima que acontece até o dia 18 na cidade dinamarquesa. As últimas esquetes serão apresentadas ao longo do trecho percorrido pela Marcha Mundial pela Paz e não Violência que sairá às 15h, do Palácio do Governo.

As artistas percorrerão a Ponte Maurício de Nassau, a Rua Marques de Olinda, a Rua Bom Jesus até a Praça do Arsenal. Na capital pernambucana, as encenações têm como objetivo aproximar do grande público os assuntos que estarão em pauta na COP-15, além propor, de forma bem humorada e ácida, reflexões sobre as propostas de desenvolvimento sob o bojo de programas governamentais como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Já em Copenhagen, as artistas do Grupo de Teatro Loucas de Pedra Lilás se unem a outras naturais do México, da Argentina, da Suíça e da Alemanha para apresentar esquetes sobre o papel dos países em desenvolvimento e do primeiro mundo no enfrentamento aos efeitos ambientais provocados pelo aquecimento global.

Um outro foco das artistas é destacar o impacto do aquecimento global na vida das mulheres. Relatório das Organização das Nações Unidas publicado neste ano aponta que as mulheres, principalmente nos países pobres, compõem o grupo mais vulnerável às mudanças climáticas. Isso porque, no mundo, correspondem a maior parte da força de trabalho agrícola e por terem menos acesso a oportunidades para gerar renda. Elas, segundo o mesmo relatório, administram suas casas e cuidam das famílias, o que diminui sua mobilidade e aumenta sua vulnerabilidade quando ocorrem desastres climáticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário